Back to WhereThereBeDragons.com

A Brazilian in Senegal

Oi, gente!

  Consigo imaginar o quão preocupados vocês devem estar.

  Peço que todos fiquem tranquilos, tem sido uma experiência incrível.

  Antes de vim para cá, muitos diziam que eu estava fazendo uma loucura, saindo do Brasil para passar um mês no Senegal, sem celular, sem nenhuma comunicação direta com minha família e um monte de gente que eu não conhecia. Assumo que em certo momento me deixei cair nesse pensamento. Mas agora, agradeço por ser esse louco e estar vivendo a melhor loucura da minha vida.

   Quando estava arrumando minha mochila para viajar, pedi alguns livros para minha mãe para ler durante a viagem e ela me entregou um chamado “Guerreiros não nascem prontos”. Uma passagem desse livro me chamou muita atenção: “A sorte significa o que vamos fazer com aquilo que poderíamos considerar azar, e que muitos consideram”. É exatamente isso que tenho feito, tenho tentado aproveitar cada segundo dessa experiência louca.

  Esses últimos dias, na homestay em Thies, foram a prova disso. Tentei aproveitar cada segundo com aquela minha outra família, que me surpreendeu a cada segundo.

   Primeiro, assim que cheguei na casa senti uma ótima energia, todos pareciam muito felizes por eu estar ali e meus host brothers foram logo me apresentando tudo, que cortou a primeira impressão de estranheza com aqueles trigêmeos de 23 anos com 2 metros de altura.

  Segundo, tive a sorte de ter uma host family que falava inglês, o que facilitou muito a comunicação e a adaptação.

  Assim, os dias foram ficando cada vez mais tranquilos, pude conhecer melhor a cidade e ainda criar uma conexão inimaginável com essa minha nova família.

  Todos lá tinham uma energia surreal e belos sonhos. A hospitalidade deles foi incrível, nunca havia sido tão bem recebido em um lugar quanto fui pelas pessoas daquela casa, onde de senti um extremo conforto todos os dias e, de sobra, ainda virei Moustapha(meu nome senegalês).

  A saudade de lá já bate, saudade de fazer chá com Ousmane, de escutar música com Suleymane, assistir os jogos de futebol com Ibrahima e das belas conversas com Aissatou. Saudade que já fica guardada no peito, junto com a esperança de um reencontro.

  Ba com kanam!

Para minha família e amigos

  Observações:

    1) Não consigo acessar meu e-mail daqui por precisar de um código que não vou conseguir. Então, não vou poder responder quem tiver me enviado e-mail.

    2) Alguém compra uma blusa nova do Inter para mim. Agradeço!